O Par Perfeito ou o Parceiro Ideal:  muitos programas na Web existem que promovem salas de encontro e bate papo, mas...muitas vezes não levam a um final feliz, afinal, a ciência da individualidade é particularmente relevante. Mesmo havendo a oportunidade de se conhecer alguém através da profissão em exercício, apresentacões em círculos sociais ou familiar, a coisa não vinga e isso, infelizmente, é que a verdade. Pois, sabemos que traços psicológicos, de análise, vivência-pessoal ou inúmeras autodescobertas por métodos científicos ou experimentais, artísticos ou místicos, de alguma forma se busca o encontro do EU com O OUTRO. Nenhuma das partes deverá suplantar ou outro e sim, acrescentar, haver a comunhão. Muitas vezes o companheiro se apresenta de um modo e se revela de outro. Noutras, no decorrer da relação, a espontaneidade ocasionada por motivos diversos, apresenta facilidades ou dificuldades que, a vista de outro, poderão ser abomináveis ou apaixonantes. É interessante notar que dividindo nossa vida com o outro, que pensamos conhecer melhor, identificamos o que queremos do companheiro e o que não queremos, afinal, busca-se no outro o 'Modelo Ideal' de amor. E como será esse modelo? Cada um por experiência e carências próprias, cria esse modelo.

A metade da laranja, a tampa da panela... vários são os têrmos usados para se encontrar um companheiro (a). Aperfeiçoar-se e manter-se forte, inteiro em seus conceitos, é o que todo ser humano saudável busca através da descoberta de sua capacidade e valores reconhecidos por si e por outra pessoa. Obrigatoriamente, sua primeira conquista exige a segunda, caso contrário, com o passar do tempo, a vida extingue-se na solidão que sem o reconhecimento necessário, faz perder o sentido de suas conquistas pessoais. Quando não, por vezes consciente ou inconscientemente, deixamo-nos rotular como massa, pela mesma opinião, pela moda...se a seguimos ou não, isso não importa...o fato é que por vezes somos o padrão mostrado pela coletividade. Na nossa complexa civilização, sempre haverá estilos impessoais amiúdes que dominam o indivíduo que ao ser confrontado com algo que absolutamente não é aquilo que se quer ou se identifica, surge o EGO e, com ele, a individualidade. Instintivamente a verdade aparece. E, é nesse revelar-se espontâneo e genuíno que, na convivência de uma união, seja por laços de amizade ou uma relação mais íntima, deparamos e nos surpreendemos com a verdade do outro e com a nossa própria verdade.

A Composição deste 'Modelo Ideal de Companheiro(a)' foi demonstrado pela astróloga Regina Braga Nascimento em Tese no IV Congresso de Astrologia promovido pela Associação Brasileira de Astrologia (ABA),com a apresentação de dezenas de Mapas de casais que viviam e assim permaneceram em harmonia conjugal. Ainda solteira, a astróloga desenvolveu mais seus estudos, pois queria saber onde estava o homem com quem iria se casar. Deveria existir, mas estava a faze o o quê? E aonde?

Como previsto, no mesmo ano se casou e ainda mais se aprofundou neste estudo apaixonante, aplicando desde então seus conhecimentos aos clientes de Astrologia, que buscavam a confirmação de ser aquele parceiro o parceiro ideal.

Quando o interessado já conhece a pretendente, o trabalho de comparação dos dois Mapas chama-se 'Sinastria' (veja ícone Astrologia e Atendimento). Quando não se conhece o parceiro, buscaremos encontrá-lo através do Banco de Dados que é o que se propõe este serviço.

Se quiser fazer parte do Banco de Dados ou fazer a Sinastria de Casais, faça contato : [email protected]